Domingo, 15 de Janeiro de 2012

AUTARQUICAS

As autárquicas,  em minha opinião, são das mais importantes eleições que se realizam no nosso País. Dada a proximidade dos candidatos aos eleitores (especialmente em meios de pequena densidade demográfica) aqueles, sentem e entendem melhor as necessidades destes, por isso, estas eleições deveriam ser encaradas por uns e por outros com a devida ponderação; pelos candidatos,  se se está à altura do desempenho das funções, e pelos eleitores, se à parte qualquer ligação partidária, o candidato demonstra ou  já deu provas de ser capaz para a missão.

 

No desempenho de um cargo público deve estar sempre presente o querer fazer bem em prol da comunidade que se serve. Mas, querer não basta, é preciso que exista o conhecimento e a preparação para o desempenho de funções.

É frequente ver que alguns partidos políticos na sua ambição de poder não hesitam em lançar como candidatos indivíduos que não têm a mínima preparação para o desempenho que se propõem, contudo, trata-se por norma de pessoas com um índice de popularidade local capaz de levar ao arrastamento do voto no partido que o propõe.

 

Estas formas leves e pouco sérias de tratar as  eleições autárquicas têm tido como reflexo a existência dos presidentes marionetas, quer dizer, presidentes que só o são porque de forma pouco reflexiva lhes foram garantidos os votos para tal, mas que, de presidentes de facto,  quase nada têm. Limitam-se estes presidentes marionetas a fazer de conta que são eles que tomam as decisões e que são  os responsáveis pela implementação de medidas.

 

Na verdade, são os partidos sob cuja sigla foram eleitos que na realidade lhes determina o que devem ou não fazer, em que medidas ou em quem, ou contra quem devem votar nas assembleias, independentemente de, se essa votação vai ou não de encontro às necessidades ou contra os interesses  da sua autarquia.

 

Quase sempre os partidos políticos se servem destas marionetas para a satisfação de interesses político-partidários decididos ao nível do poder central, com total desprezo pelos interesses das populações afetadas.

 

Fazendo parte de listas de partidos políticos, ou não, é preciso e imperioso, que os candidatos às eleições autárquicas reflexionem se estão ou não preparados para tão nobre missão, qual seja;  SERVIR A COMUNIDADE.

 

publicado por etario às 21:52
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. ...

. PRIVATIZAÇÕES

. A BEM DA NAÇÃO

. FEUDALISMO

. ORDEM DOS ADVOGADOS

. DARDOS/HIPOCRISIA

. INCÊNDIOS

. Dardos

. POBRE POVO

. Respeito

.arquivos

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds