Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

LIÇÃO DE SAPIÊNCIA

Com a devida vénia, vou hoje citar uma "máxima" que  marcou a minha maneira de encarar as contrariedades.

O  facto que me proponho transmitir-vos ocorreu na vivência dos meus 28 ou 29 anos; por essa altura iniciava eu uma vida de comerciante nas Fazendas de Almeirim, terra de onde sou natural e onde decorreu toda a minha meninice e juventude. Como já anteriormente referi, quando assentei arraiais (entenda-se vida de casado) foi aqui que me fixei de armas e bagagens.

Amo esta terra e as gentes de que faço parte. Mas, vamos ao tal facto de que vos falei; como dizia, iniciei uma vida de comerciante ainda novo e dado que a actividade se prende também com uma forte componente de prestação de serviços, frequentemente tinha de me deslocar à loja de ferragens cá do burgo, propriedade do Snr Xico da Drogaria. Por este  personagem, meu amigo e amigo de toda a gente tenho profunda admiração! No trato pessoal é inexcedivel e no comportamento comercial um exemplo. 

Pois bem, numa dessas idas (quase sempre com pressa) à loja do Xico da Drogaria, aí por volta das seis da tarde, deparei com o balcão recheado de clientes e o bom do amigo Xico a atender um cliente que pretendia comprar uma tesoura de poda. Até aqui tudo normal, só que, o cliente após analizar uma série de tesouras na maior das calmas lá foi encontrando pequenos pormenores que não eram do seu agrado; volvia o Xico com nova dose de tesouras  e pacientemente aguardava a decisão de escolha do cliente, mas este voltava a encontrar pormenores que não preenchiam a sua satisfação. Entretanto os restantes clientes já estavam furiosos com a demora da escolha pois os defeitos apontados às tesouras eram incriveis ninharias  que não justificavam o  tempo perdido. Claro que o Xico ainda estava mais furioso, e após nova análise de mais dez  tesouras por parte do cliente, e na eminência de uma recusa de compra da tesoura, o bom do Xico armou um amplo sorriso e teve este desabafo:

francamente oh Josué; e se fosse para comprares um avião?

Claro que a maioria dos presentes, se estivessem no lugar do Xico teriam mandado o cliente dar uma volta acompanhado da sua indecisão, mas o Xico, comerciante sagaz e velha raposa, "pese embora o facto de na altura ainda não se falar em markting," já sabia que com vinagre não se apanham moscas.

Conclusão ; após esta tirada do Xico, o cliente comprou rápidamente a tesoura.

Aprendi imenso naquele momento de espera, e ainda hoje, perante a indecisão injustificada de um cliente,  aplico a máxima do Xico da Drogaria ; E se fosse para comprar um avião?

publicado por etario às 12:39
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. ...

. PRIVATIZAÇÕES

. A BEM DA NAÇÃO

. FEUDALISMO

. ORDEM DOS ADVOGADOS

. DARDOS/HIPOCRISIA

. INCÊNDIOS

. Dardos

. POBRE POVO

. Respeito

.arquivos

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds