Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008

São Valentim.

Sempre que posso, faço um giro (qual autómato) pelas ruas da cidade . Mas hoje, creiam que o giro não foi ditado por nenhuma força estranha. Foi a pura curiosidade de ver qual o comportamento dos, e das, que só se lembram que têm namorado ou namorada no dia de S. Valentim. E, reparei que, esses e essas, que levam quase todo o ano esquecendo que o amor é,  todos os dias e todos os momentos, só porque o markting das grandes empresas de distribuição lhes lembrou que era dia de S.Valentim , desataram a correr às lojas para comprar uma  prendinha com que demonstrariam aos seus amados, amadas " o quanto os amam.

Pois foi precisamente neste deambular ao acaso pelas ruas, que deparei com um amigo, "amigo de verdade" daqueles que guardamos do lado  esquerdo do peito, com o nariz encostado à montra de uma ourivesaria; Não necessitei de lhe perguntar o que o encantava na montra do ourives, pois ele mal me viu abriu-se num sorriso enorme, daqueles que só ele tem.E depois, já mais sério, disse: talvês te pareça estranho, mas, há ´uma coisa que me roi por dentro . E desatou a desfiar os contornos de um amor secreto que havia tido, sem contudo revelar de quem se tratava.

Lamentava que, muito embora nem ele nem o seu antigo amor fizessem das coisas materiais o combustivel que fazia explodir as suas relações , ele jamais a tivese  levado a jantar a um lugar chique, lhe tivesse comprado roupa bonita, lhe tivesse dado algo de real  valor. Claro que por mais de uma vez ele tentara fazer tudo isso, mas, por circunstâncias várias, dentre as quais o secretismo do relacionamento, não tnha sido possivel.

E hoje, dia de S.Valentim , ali estava ele defronte da ourivesaria a imaginar que, provavelmente nenhuma joia teria valor suficiente para simbolizar o amor  que, mesmo magoando por ausência ou indiferença, não deixa de ser amor.

Pensando em voz alta, disse: vou comprar um botão de rosa e oferecê-lo à primeira mulher que encontrar! Assim, continuarei a alimentar esta chama que embora esmorecida não se apaga.

Confesso que desconhecia esta paixão platónica deste meu amigo, mas, só pelo brilho de felicidade que vi nos seus olhos, direi que, vale a pena amar.

Por isso, que São Valentim seja todos os dias.

 

publicado por etario às 23:06
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. ...

. PRIVATIZAÇÕES

. A BEM DA NAÇÃO

. FEUDALISMO

. ORDEM DOS ADVOGADOS

. DARDOS/HIPOCRISIA

. INCÊNDIOS

. Dardos

. POBRE POVO

. Respeito

.arquivos

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds