Quarta-feira, 17 de Fevereiro de 2010

SÃO VALENTIM

Porque chovia não cumpri este ano o ritual de à noite passear pela cidade no dia de S.Valentim.

E por isso, nesse dia, não vi o meu amigo dos outros anos, nem escutei as suas histórias de amores frustrados.

 

Contudo, hoje cruzei-me com ele na travessa do café que habitualmente frequenta e, a nossa conversa inicial não foi, como habitualmente era, o dia de S.Valentim

 

Passadas algumas conversas de circunstância era notório que ele pretendia que o tema se encaminhasse para o dia de  S.Valentim.

Fiz-lhe a vontade e perguntei-lhe como ia de amores; o efeito foi o que eu já esperava, ou seja, desatou a falar do seu caso de amor como se  a conversa do ano anterior não tivesse terminado.

Mas desta vez estava mais solto, sem aquela nostalgia no olhar que só os apaixonados têm. Estava livre, sem grilhetas sentimentais, mas, notava-se nas suas palavras a amargura de um amor que havia terminado de vez.

Conhecendo a que fora a eleita do seu coração não resisti a perguntar-lhe: se ele ainda tinha por ela algum sentimento e se ainda procurava vê-la; resposta clara e directa "um amor como o que sentiu por essa mulher não morre fácilmente, e, pode ficar em estado vegetativo por muito tempo, contudo, no momento já não procurava vê-la e, a sua lembrança era uma imagem já desfocada, sem contornos. Mas, de uma coisa tinha dúvidas;  se o facto de jamais se aproximar de outra mulher estaria ainda relacionado com essa lembrança, ou seja, se inconscientemente faria a comparação entre o amor terminado e o futuro, acabando por vencer o terminado.

 

Lamentei não o poder ajudar na resolução do seu dilema e, em laia de despedida, disse~lhe que mais uma vez o Dr Tempo havia efectuado um bom trabalho. Quer dizer, a decorrência do tempo opera verdadeiros milagres nas relações emocionais dos seres humanos, e que no caso dele, o mais provável seria encontrá-lo no próximo dia de S.Valentim de mão dada com um novo amor, e novamente com o tal brilho nos olhos que só os apaixonados têm.

 

Nota: Porque penso que a razão da sua paixão jamais lerá esta croniqueta, e se a vier a ler, certamente não identificará os personagens, atrevo-me a dizer que ela não foi merecedora de tamanha dedicação e amor.

 

Pelo Amor;

QUE VIVA S.VALENTIM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por etario às 22:43
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. ...

. PRIVATIZAÇÕES

. A BEM DA NAÇÃO

. FEUDALISMO

. ORDEM DOS ADVOGADOS

. DARDOS/HIPOCRISIA

. INCÊNDIOS

. Dardos

. POBRE POVO

. Respeito

.arquivos

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds